Mafia Canarinho




Mafia Canarinho


Seguimos em Frente Rumo a 2014, desde a Escolha do novo tecnico ate o hexa Estaremos Juntos.


Somos 100% Dunga , Parabens Capitão e Obrigado por tudo !!!


Espaço Destinado a Torcida Brasileira Rumo a Copa 2014

Ingressem na Nossa Comunidade do Orkut


http://www.orkut.com.br/main#community?cmm=101728972


Somos a Mafia Canarinho Somos o Brasil



Bem Vindos !!!!


Contato:
mafiacanarinho@bol.com.br


sexta-feira, 30 de julho de 2010

CBF e AFA confirmam nova Copa Roca só com jogadores 'locais'

Brasil e Argentina vão disputar troféu a partir de 2011, sem atletas que atuam no exterior. Torneio, que marcou estreia de Pelé, ganhará novo nome

Em 57, Pelé estreou pelo Brasil fazendo um gol na Argentina pela Copa Roca (Foto: Divulgação)

Brasil e Argentina vão se enfrentar pelo menos duas vezes por ano a partir de 2011. Nesta sexta-feira, os presidentes da CBF, Ricardo Teixeira, e da AFA, Julio Grondona, assinaram um acordo em Buenos Aires para a reedição da Copa Roca, torneio que deixou de ser disputado entre as duas seleções depois de1976.


Segundo o site da CBF, uma segunda reunião será marcada entre os dirigentes para a definição das datas e do novo nome da competição. O certo é que as equipes jogarão duas vezes, uma em cada país, para decidir o troféu.

De acordo com o site da AFA, cada seleção usará apenas jogadores que atuam nos países, sem a presença de atletas que jogam por clubes do exterior. Em declarações publicadas pela página da federação argentina, Ricardo Teixeira afirmou que as partidas com os hermanos serão importantes para o desenvolvimento dos jovens atletas brasileiros.

- É um enorme prazer assinar este documento, principalmente para que nossa Seleção comece a utilizar jogadores do futebol local. Todos sabem que a Seleção Brasileira está acostumada a contar com muitos jogadores que atuam no exterior, então me sinto feliz de ter a possibilidade de fazer estes jogos que serão muito bem recebidos no meu país. Ajudará no crescimento e formação dos jovens jogadores locais. Será muito importante também para o futebol sul-americano - disse.

A competição, que mudará de nome a partir de 2011, consiste na disputa de dois jogos, um em cada país, dos quais participarão apenas "jogadores dos respectivos torneios locais", explicou em entrevista coletiva o porta-voz da AFA, Ernesto Cherquis Bialo.

A Copa Roca foi disputada 11 vezes entre 1914 e 1976, com oito títulos do Brasil e três da Argentina. Em 1957, Pelé vestiu a camisa amarelinha pela primeira vez em uma partida do torneio: derrota por 2 a 1 para os hermanos, no Maracanã. O Rei do Futebol, que ainda tinha 16, entrou no segundo tempo no lugar de Del Vecchio e fez o gol brasileiro. No jogo seguinte, Pelé voltou a marcar e o Brasil venceu por 2 a 0, no Pacaembu, garantindo o título.

Depois da primeira edição em 1914, quando o Brasil conquistou a taça, o torneio foi realizado em 1922 (Brasil campeão) e 1923 (Argentina). Em seguida, os hermanos ganharam o troféu em 1939 e 1940. Em 1945, 1957, 1960, 1963, 1971 e 1976 a seleção canarinho ficou com o título.

Francisco Cersósimo vibra com a chance de trabalhar na Seleção

Preparador de goleiros do Grêmio foi chamado para compor a comissão técnica de Mano Menezes. Dia 10 tem amistos nos Estados Unidos

Francisco Cersósimo, preparador de goleiros do Grêmio, foi chamado na última quinta-feira para integrar a comissão técnica de Mano Menezes na Seleção Brasileira. Nesta sexta-feira, ele falou sobre a possibilidade de servir o Brasil.


- Representa um orgulho muito grande, um sonho de garoto. É o fruto de um trabalho de 16 anos. A satisfação é enorme, mas a responsabilidade também – declarou Chico, terceiro goleiro do Bahia campeão brasileiro em 1988.

O ex-goleiro está bastante empolgado com a possibilidade de poder participar da renovação da Seleção Brasileira, uma das principais missões de Mano Menezes.

- É o momento certo para as mudanças. O povo brasileiro está esperando uma renovação – acrescentou Francisco Cersósimo.

Chico continua trabalhando no Grêmio, mas será cedido sempre que a Seleção precisar, como no próximo dia 10 de agosto, quando o Brasil tem amistoso contra os Estados Unidos, em New Jersey.

Brasil é derrotado pelo Paraguai em torneio sub-20 e está fora das finais

Anfitriões vencem por 2 a 1, nesta quinta, no Estádio Libertad, em Assunção

Brasil perde do Paraguai e é eliminado (Foto: EFE)

A Seleção Brasileira sub-20 perdeu para o Paraguai por 2 a 1, nesta quinta-feira, pelo Torneio Internacional Sub-20, no Estádio Libertad, em Assunção. Com esse resultado, os donos da casa eliminaram o Brasil das finais do torneio. Na estreia, a equipe tupiniquim havia empatado por 0 a 0 com a Colômbia. Os dois jogos foram observados pelo auxiliar técnico de Mano Menezes, Sidnei Lobo.


Os paraguaios inauguraram o placar aos 7 minutos da etapa inicial, com Jorge Ortega. Henrique empatou para o Brasil aos 17 do segundo tempo, mas Oscar Ruiz, aos 42, marcou o gol da vitória.

Com o resultado, o Paraguai ficou com a segunda posição no Grupo A, e enfrentará o Uruguai, segundo do B, na decisão de terceiro lugar do torneio. Colômbia e Argentina, primeiros colocados de suas chaves, farão a final. O torneio teve ainda a participação do México, que ficou na terceira posição do grupo B.

Ficha técnica:

Paraguai: Mario Ovando; Raúl Cáceres, Gustavo Gómez, Diego Viera e Rodrigo Alborno (Oscar Ruiz); Darío Ferreira (Diego Benítez), Hernán Pérez, Marcos Giménez e Derlis Villalba; Jorge Ortega e Federico Santander. Técnico: Carlos Picerni.

Brasil: Gabriel Vasconcellos; Cristian Sousa, Cristiano, Alan Ferreira, Cristian Oliveira; Heracles, Luiz Antônio, Raphael Santos, Bergson (Henrique); Wendel e Oscar (Vianconi). Técnico: Luis Verdini.

Arbitragem: Antonio Arias, do Paraguai, auxiliado por seus compatriotas Nicolás Yegros e César Franco.

Mano pede, e CBF acerta com mais dois nomes para comissão técnica

Francisco Cersósimo, do Grêmio, assume como preparador de goleiros, e Carlinhos Neves, do São Paulo, como preparador físico

Mano e Ricardo Teixeira durante a convocação da seleção no Rio de Janeiro (Foto: Ag. Estado)


O técnico Mano Menezes confirmou, nesta quinta-feira à noite, dois novos profissionais que farão parte de sua comissão técnica na Seleção Brasileira. O treinador chamou Carlinhos Neves, preparador físico do São Paulo, e ex-preparador físico do Grêmio, para a comissão. Ele trabalhará com o colorado Fábio Mahseredjian, que segue no grupo.

O novo preparador de goleiros da Seleção trabalha atualmente no Grêmio. Francisco Cersósimo foi convidado e aceitou a proposta, mas vai trabalhar no Grêmio também.

Peixe tem mais um convocado para a Seleção: Luis Álvaro Ribeiro

Presidente santista foi convidado para chefiar a delegação brasileira que vai aos Estados Unidos. Amistoso com os americanos será dia 10 de agosto

Luis Alvaro é mais um santista na Seleção Brasileira (Foto: Julyana Travaglia / Globoesporte.com)




O presidente do Santos, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, foi convidado pela CBF para chefiar a delegação brasileira na viagem aos Estados Unidos, no início de agosto. No dia 10, o Brasil disputa amistoso com a seleção americana em Nova Jersey.


De acordo com a assessoria de Luis Alvaro, a CBF, no convite, justificou que o Santos simboliza a renovação na Seleção Brasileira. Não é à toa que o Peixe é a equipe com mais jogadores convocados pelo técnico Mano Menezes, na última segunda-feira: o meia Paulo Henrique Ganso e os atacantes André, Neymar e Robinho.

Até o fim do ano passado, Luis Alvaro, empresário do ramo de avaliações imobiliárias, era um desconhecido no mundo do futebol, até que ganhou as eleições do clube, derrubando Marcelo Teixeira, que comandava o Peixe desde 2000. Em pouco mais de seis meses de mandato, Luis Alvaro viu o Santos lançar uma nova geração de garotos talentosos e ainda repatriou Robinho. Nesse período, o Peixe conquistou o Campeonato Paulista e está bem perto de levantar a Copa do Brasil, título inédito para o clube.

Eduardo Maluf é convidado para assumir a direção de seleções

Presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil, foge do assunto ao ser perguntado sobre a intenção da CBF em tirar dirigente do Galo

Eduardo Maluf trocou recentemente o Cruzeiro pelo Atlético-MG (Foto: Rodrigo Fuscaldi)



O presidente da CBF, Ricardo Teixeira, fez um convite formal ao diretor de futebol do Atlético-MG, Eduardo Maluf, nesta quinta-feira. A intenção é que o dirigente assuma o cargo de diretor de seleções. O posto, anteriormente, era ocupado por Américo Faria.


No entanto, Eduardo Maluf negou ter sido procurado pela CBF. Em junho, o dirigente foi demitido do Cruzeiro pelo presidente Zezé Perrella. Logo após, aceitou o convite do presidente Alexandre Kalil para assumir o futebol do Galo. Na oportunidade, Maluf disse que cinco equipes da série A do Campeonato Brasileiro lhe teriam feito propostas para contratá-lo.

A CBF deverá se pronunciar oficialmente até o fim desta quinta-feira. Perguntado sobre o assunto, Alexandre Kalil foi evasivo na resposta.

- Pergunte para o Maluf. Eu não vou falar enquanto ele não se pronunciar.

Primeiro técnico de Mano, Marino levava 'bronca' do ex-aluno

Desde garoto, o atual técnico do Brasil mostrava comando. Morador de Passo do Sobrado, Marino conta sobre como conheceu Mano

Carteirinho de sócio de Marino, assinada pelo pai de Mano (Foto: Leandro Canônico / Globoesporte.com)

Amarino Pádua Faleiro, mais conhecido como Marino, tem 80 anos e mora em uma simples casa em Passo do Sobrado, no interior do Rio Grande do Sul. Aposentado, ele levava uma vida tranquila, sem muita agitação. Até que Mano Menezes foi anunciado técnico da Seleção Brasileira. Desde então, ele é uma “celebridade”.


Primeiro técnico de Mano no modesto Esporte Clube Rosário, ele virou referência na cidade. Todos o conhecem. Sua casa é apontada com a naturalidade de quem lhe avisa onde é a prefeitura ou a igreja. Atencioso e bem humorado, Marino lembra detalhes da convivência curta e intensa com o técnico. Ele tem muito orgulho disso.

- Vamos com calma, porque eu sofro do fôlego, menino – pede o senhor antes de começar a contar a sua história em Passo do Sobrado.

Recuperado da súbita falta de ar, Marino iniciou.

- Veja só meu filho. Voltando do trabalho (no departamento de rodovias do estado), eu sempre passava em frente ao campo e via a gurizada jogando. Só que as bolas deles eram muito velhas, estragadas. E como eu tinha facilidade com essas coisas, resolvi arrumá-las para eles – contou o senhor, nascido em Venâncio Aires.

A partir daí é que começou a relação que o fez virar técnico de futebol amador no interior do Rio Grande do Sul. Tudo por amor, não por dinheiro.

- Comecei a reparar que a gurizada era boa. E no meio de todos eles tinham esse rapaz chamado Mano Menezes. Eu então fiz amizade com o pai dele, o Omar Menezes, e comecei a trabalhar com eles no Rosário. Tenho até hoje a recordação daquele tempo – disse Marino, mostrando orgulhoso sua carteirinha de sócio.

Professor Mano


Como a maioria dos coordenadores trabalhava e os garotos também, não havia tempo para treinamento naquela época. Eles se encontravam apenas na hora do jogo. Mas o time era bom. Segundo Marino, difícil de ser batido.

- Nós jogávamos sempre contra os times da região de Rio Pardo, de Santa Cruz do Sul. E quando começamos a ganhar muito, o Guarani-RS nos chamou para participar de um campeonato em Venâncio Aires. Mas nós não tínhamos dinheiro. Íamos em caminhão de carga e vendíamos salgadinho para pagar – relembrou.


Mas foi em uma dessas aventuras que Mano deu seu primeiro passo como técnico. Ele tinha 17 anos e o Esporte Clube Rosário perdia o jogo (Marino não se recorda contra quem). Incomodado com o resultado, o então zagueiro chamou o técnico e lhe fez uma cobrança, pedindo alterações em campo.

- Ele chegou em mim e disse: ‘Professor, o time está mal posicionado. Precisamos mudar’. E eu disse que ele estava certo e que poderia mudar. Nunca tive problema em ouvir a gurizada, eu era mais um coordenador mesmo. Mas se é hoje que o Mano faz um negócio desses mandam ele para rua – falou, rindo, o ex-técnico.

Homem-rã

É assim que o Seu Marino costuma se referir ao atual Mano Menezes. E ele conta o porquê do apelido rindo como uma criança feliz. Tem a vez com os desafios assumidos pelo atual técnico da Seleção Brasileira em sua trajetória.


- O Mano sempre pegou times no fundo do poço. Foi assim com o Guarani-RS, com o Caxias, com o Grêmio, com o XV de Novembro, com o Corinthians... As pessoas devem olhar para ele e dizer: ‘esse aí sabe mergulhar, vamos lá chamá-lo para resolver os nossos problemas – brincou Marino.

A Seleção Brasileira não está no fundo do poço. Mas o desafio de Mano é grande. Fazer uma renovação e conquistar o hexa em 2014, na Copa do Mundo do Brasil.

- Eu só peço a Deus que me dê vida até lá para eu poder ver esse excelente rapaz Mano Menezes campeão do mundo. Depois disso... – finalizou.

Brasil e Argentina disputarão torneio anual sem 'estrangeiros', diz colunista

Segundo Ancelmo Gois, Ricardo Teixeira se reunirá nesta sexta-feira com o presidente da AFA para fechar a disputa semelhante à Copa Roca

A Copa Roca, disputada entre 1913 e 1976 com vários intervalos, será ressuscitada. De acordo com o colunista Ancelmo Gois, do jornal "O Globo", o presidente da CBF, Ricardo Teixeira se reunirá nesta sexta-feira com o presidente da Associação do Futebol Argentino (AFA), Julio Grondona, para acertar um torneio anual entre as seleções brasileira e argentina, com jogos de ida e volta.


O detalhe da proposta é que cada equipe só poderá escalar jogadores que atuam em seus respectivos países, sem os que jogam por clubes estrangeiros. A Copa Roca foi disputada 11 vezes, sendo que em 1971 as duas seleções dividiram o título após dois empates, inclusive na prorrogação na segunda partida. Além deste torneio, o Brasil venceu outras sete vezes (1914, 22, 45, 57, 60, 63 e 76) e a Argentina, apenas mais três (1939/40, 40 e 45).

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Lula estará presente em solenidade de início de obras no Beira-Rio

Inter promete colocar em prática nesta quinta-feira o processo de adequação do estádio à Copa de 2014

Estádio receberá cobertura para a Copa do Mundo (Foto: Reprodução / Site Oficial do Internacional)




O Inter recebeu na tarde desta quarta-feira do prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, a licença ambiental para tornar o Beira-Rio apto a sediar jogos da Copa do Mundo de 2014. Durante o evento, realizado em uma das suítes do estádio colorado, o diretor de marketing do clube, Jorge Avancini, anunciou a presença do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na solenidade que dará início às reformas no estádio, nesta quinta-feira.

– Estamos começando nesta quarta, com a Prefeitura entregando todos os alvarás, e principalmente na quinta, com a presença do presidente Lula fazendo oficialmente o início das obras – disse Avancini.

Seguranças do presidente já compareceram ao estádio para verificar as instalações e planejar o esquema para a presença de Lula no Beira-Rio.

O presidente do Inter, Vitorio Piffero, assinou o documento liberando as reformas ao lado de Fortunati e do presidente do Conselho Regional de Arquitetura do Rio Grande do Sul, Luiz Alcides Capoani. O dirigente também recebeu uma cópia da medida provisória que isenta de tributos federais as obras de reformas dos estádios que receberão partidas pela Copa de 2014. O prefeito destacou que esta isenção deve abrir caminho para que o clube seja desonerado, também, de tributos de âmbito estadual e municipal.

– Esperamos que o estado possa dar isenção do ICMS, e que nós possamos dar a isenção do ISSQN – afirmou o político.

O prefeito porto-alegrense destacou a importância do trâmite burocrático que antecedeu o início das obras. Para ele, o novo Beira-Rio será um legado não apenas para a Copa, mas também para o próprio clube.

– Sem que esta fase inicial acontecesse, a obra não seria possível. Estou feliz por entregar esta autorização para que, nesta quinta, o Inter comece a revitalização do estádio para atender não apenas à exigência da Fifa, mas também ao torcedor colorado – disse o político.

Piffero se disse emocionado com o momento que o clube vive. O dirigente exaltou a isenção de impostos, agradecendo ao Poder Público.

– Temos aprovado o projeto do Beira-Rio com as alterações que acontecerão a partir desta quinta-feira neste estádio inaugurado em 1969. Já temos todo o contexto para nos adequar às exigências. Nesta quinta, começamos com a sonhada cobertura – comentou o dirigente.

‘Mãe adotiva’, Venâncio Aires vê em Mano Menezes seu porto seguro

Admirado pela comunidade, técnico da Seleção é figurinha carimbada de jornal da região. Ex-companheiro fala da personalidade forte dele


Caderno especial de Mano Menezes em Venâncio (Foto: Leandro Canônico / Globoesporte.com)



Venâncio Aires adotou Mano Menezes de tal maneira que muitas pessoas acreditam que o treinador da Seleção Brasileira nasceu por lá, quando na verdade sua terra natal é Passo do Sobrado, cidade a 15 quilômetros. Porém, depois que construiu sua vida profissional na capital do chimarrão, Venâncio é que virou referência.


A prova disso tudo está no dia-a-dia da Folha do Mate, jornal que circula três vezes por semana na região e que tem 38 anos de existência. Mano é um dos personagens mais queridos da publicação. Todos os assuntos que envolvem o treinador interessam. Ainda mais agora que ele está no auge da carreira.

- O Mano sempre foi pauta para nós. Desde que era atleta no Sesi e zagueiro no Guarani-RS. Mais adiante, quando ele explodiu como técnico, virou uma rica fonte de notícia para o jornal. Até porque em toda a comunidade ele é considerado uma grande figura – falou Caco Villanova, editor-chefe da Folha do Mate.

Na última terça-feira, para noticiar a apresentação de Mano na Seleção Brasileira, o jornal veiculou um caderno especial com oito páginas. E mais: faturou também com nove anúncios de empresas da região dando os parabéns ao novo treinador do Brasil. O projeto, aliás, foi tocado na correria por conta do caso Muricy.


- A ideia surgiu na semana passada, quando o nome do Mano apareceu com força nas especulações. Decidimos fazer um caderno especial e começamos a produzir, mas teve a história do Muricy (depois o Flu não liberou) e demos uma desanimada. No sábado, quando o Mano aceitou, voltamos a todo vapor – disse Villanova.

Sérgio Klafke, diretor da Folha do Mate, foi companheiro de Mano Menezes no Guarani-RS e depois era repórter esportivo no período em que o time de Venâncio Aires tinha certa visibilidade no cenário gaúcho. Bastante conhecedor do estilo Mano de ser, ele faz um comentário interessante.

- O Mano sempre foi um cara de bater de frente com os dirigentes. Ele sempre quis comandar time, diretoria, torcida e imprensa. Mas muitas vezes não conseguia. Ele é assim até hoje, mas está muito mais diplomático. Aprendeu com o tempo – declarou Klafke, que acredita ser a Europa o próximo destino do treinador.

Agora que Mano Menezes está na Seleção Brasileira, a rotina deve mudar. A atenção a tudo que se refere ao treinador ganhou proporções maiores.

Ricardo Teixeira afirma que Mineirão é favorito para sediar abertura da Copa

Presidente da CBF diz que estádio leva vantagem por já estar em obras

Ricardo Teixeira esteve presente no Mineirão (Foto: Lucas Nogueira / Globoesporte.com)




Nesta quarta-feira, em visita oficial às obras do Mineirão, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, afirmou que Belo Horizonte é a grande favorita para sediar a abertura da Copa do Mundo de 2014, que será realizada no Brasil.

- Pelo fato de já ter iniciado, ela iniciou antes dos outros, Belo Horizonte leva vantagem.

Nesta manhã, o dirigente assistiu ao início da retirada do gramado para o rebaixamento do campo. Essa reforma faz parte da segunda etapa das obras, que teve início em julho e deve ser concluída em novembro deste ano. Pelo planejamento, o estádio ficará pronto no fim de 2012.

De acordo com Ricardo Teixeira, o anúncio das sedes, não apenas de abertura, mas também da final da Copa do Mundo, será feito de acordo com o cronograma da Fifa.

- Na época oportuna, de análise das sedes, de todos os jogos importantes, é que se vai definir abertura e fechamento. Não tem definido nem abertura e nem fechamento.

O presidente da CBF comentou também a situação de São Paulo. Depois de ter o Morumbi oficialmente vetado, como sede para Copa, o estado mais rico do país ainda não tem estádio em condições de sediar uma partida do Mundial.

- São Paulo está com problema porque não tem estádio. Para o Comitê Organizador, São Paulo não tem estádio apresentado para a Copa do Mundo.

Brasil empata com a Colômbia em torneio sub-20 disputado no Paraguai

Seleção precisa de vitória contra os anfitriões na próxima quinta-feira para se garantir na final da competição


Bergson tenta o chute diante da Colômbia (Reuters)

A Seleção Brasileira sub-20 ficou no empate de 0 a 0 com a Colômbia, nesta terça-feira, na estreia da equipe no Torneio Internacional da categoria que é disputado em Assunção, no Paraguai.


Com o resultado, os colombianos chegaram aos quatro pontos no Grupo A (eles venceram os anfitriões no último domingo por 1 a 0). Agora, o time canarinho precisa de uma vitória por mais de um gol de diferença diante do Paraguai, na próxima quinta, para garantir uma vaga na final da competição contra o ganhador do Grupo B (que conta com Argentina, Uruguai e México).

O técnico Luis Antonio Verdini escalou a seguinte equipe titular: Gabriel (Cruzeiro), Ryan (Fluminense), André Vinicius (Corinthians), Alan (Vitória) e Heracles (Atlético-PR); Cristian Oliveira (Palmeiras), Luiz Antonio (Flamengo), Raphael Augusto (Fluminense) e Wendel (Atlético-MG); Oscar (Internacional) e Bérgson (Grêmio).

Presença na lista inicial do técnico da Seleção tem sido bom negócio

Percentual de jogadores que estavam na primeira convocação de Parreira e Dunga e foram as duas últimas Copas do Mundo é bastante alto


Mano Menezes na primeira convocação da Seleção Brasileira, no Rio de Janeiro (Foto: vipcom)



Em sua primeira convocação para a Seleção Brasileira, Mano Menezes deu chance a dez novatos. Os goleiros Renan e Jefferson, o lateral Rafael, os zagueiros Réver e David Luiz, os meias Ederson, Paulo Henrique Ganso e Jucilei, e os atacantes Neymar e André vão sentir a emoção de jogar com a amarelinha. E estar na lista inicial de trabalho de um novo treinador da Seleção vem ganhando força nas últimas transições. Se em 1994, com Zagallo, e 1998, com Vanderlei Luxemburgo, poucos jogadores permaneceram no grupo e chegaram até a Copa seguinte, a situação mudou bastante nos dois últimos mundiais com Carlos Alberto Parreira e Dunga.


Após o Brasil conquistar o tetracampeonato em 1994, Zagallo assumiu o comando da Seleção e fez a primeira convocação para um amistoso contra a Iugoslávia, em Porto Alegre. Daqueles 22 jogadores chamados pelo Velho Lobo, somente cinco chegaram até a Copa do Mundo de 1998: Roberto Carlos, Aldair, Dunga, César Sampaio e Ronaldo.

O mesmo aconteceu no ciclo seguinte, que foi iniciado por Vanderlei Luxemburgo. Ele convocou a Seleção pela primeira vez também para um amistoso contra a Iugoslávia. E só cinco jogadores suportaram os quatro anos e apareceram na lista final de Luiz Felipe Scolari para a Copa de 2002: Rogério Ceni, Cafu, Emerson (que foi cortado), Rivaldo e Denílson.

A situação começou a mudar com a volta de Carlos Alberto Parreira para a Seleção em 2002. O treinador elaborou a lista inicial para um amistoso contra a China. E 13 dos 22 nomes escolhidos para aquela partida permaneceram no grupo e disputaram a Copa de 2006, na Alemanha. Ou seja, 56,5% dos jogadores: Julio César, Dida, Cafu, Roberto Carlos, Juan, Luisão, Gilberto Silva, Emerson, Zé Roberto, Juninho, Ronaldinho, Ronaldo e Adriano.


Com Dunga, em 2006, o índice também foi alto. Do grupo convocado para o amistoso contra a Noruega, dez jogadores também disputaram a Copa do Mundo de 2010: Gomes, Maicon, Juan, Luizão, Lúcio, Gilberto, Gilberto Silva, Elano, Robinho, Júlio Batista.

Mano Menezes considera cedo para falar sobre o futuro. O treinador não teve como convocar vários jogadores que atuam no futebol europeu e ainda estão de férias. O primeiro desafio vai ser no dia 10 de agosto, contra os Estados Unidos, em Nova Jérsei.

- Esta foi a melhor lista possível para o atual momento. Vamos ver com calma o que vai acontecer daqui para frente - disse o treinador.

País-sede da Copa de 2014, o Brasil já está classificado e não vai precisar disputar as eliminatórias. Por isso, Mano Menezes vai ter cuidado e critério na hora de escolher os adversários dos amistosos da seleção nos próximos quatro anos para conseguir avaliar bem os jogadores convocados.

- A ausência de jogos oficiais com certeza é uma preocupação e ela vai precisar ser compensada. Precisamos ter cuidado com a escolha dos adversários que vamos enfrentar. Não estou falando só de seleções tradicionais. Precisamos jogar contra equipes que imponham dificuldades para a Seleção, adversários tenham estilos de jogo que não gostamos de enfrentar. Que, por exemplo, abusem do corpo a corpo, que nós não gostamos, ou que atuem na retranca, como a Suíça fez na Copa de 2010. Temos de ser testados.

Herói de hospital em Venâncio, Mano lidera projeto para viciados

Além de ajudar financeiramente e com imagem uma instituição filantrópica, técnico da Seleção pretende criar clínica para dependentes químicos


Funcionários do Pronto Socorro: 'Mano é padrinho' (Foto: Leandro Canônico / Globoesporte.com)



Em Venâncio Aires, a imagem de Mano Menezes vale mais do que mil palavras. E o Hospital São Sebastião Mártir, no centro da cidade gaúcha, sabe bem disso. O atual técnico da Seleção Brasileira sempre colaborou com a entidade filantrópica e desde o ano passado é o garoto-propaganda do local. Sem receber cachê, é claro.


Mano Menezes foi quem liderou a campanha "Amigo do Hospital São Sebastião Mártir", em que o doador faz a caridade pela conta de luz, ajudando assim a entidade a economizar no pagamento do consumo de energia. Em menos de um ano, o resultado foi surpreendente, como explica o presidente Milton José Deves.

- A imagem do Mano agrega muito valor. Queremos que ele nos ajude em outros projetos, porque isso é importante para a cidade. Para se ter uma ideia, em agosto do ano passado (um mês antes de Mano participar da campanha), nossa arrecadação era de R$ 5 mil por mês. Agora é de R$ 15 mil – contou Deves.

Além de ceder sua imagem para esse projeto, o técnico da Seleção Brasileira contribui mensalmente com donativos ao Hospital São Sebastião Mártir. A ligação de Mano com a saúde no interior do Rio Grande do Sul vai além. Recentemente, ele comprou um terreno na periferia de Venâncio Aires e cedeu à prefeitura.


A intenção é que no local seja criada uma chácara para o tratamento de dependentes químicos, especialmente do crack. Segundo Fernando Becker, diretor administrativo do hospital, é bem possível que eles trabalhem em parceria, até porque está em construção uma ala psiquiátrica na entidade.

- Muito provavelmente vamos absorver pacientes dessa clínica e vice- versa. Estamos com o projeto dessa ala psiquiátrica, que também vai cuidar dos dependentes químicos – disse Becker. O hospital atende pacientes dos municípios de Venâncio Aires, Passo do Sobrado, Mato Leitão e Vale Verde.

Com 293 funcionários, 128 leitos e seis salas de cirurgia, o Hospital São Sebastião Mártir atende em média 5.900 emergências por mês. O número de internações é de 650 a cada 30 dias, e o de cirurgias é 213.

Fã clube do Mano


Seja entre os pacientes ou entre os funcionários, Mano Menezes é tratado dentro do hospital como um herói. Orgulho da cidade de Venâncio Aires, o treinador é tido como exemplo por muitas pessoas. No centro cirúrgico, por exemplo, a festa só não foi maior com o anúncio dele na Seleção porque era hora de trabalho.

- O Mano é tudo de bom para nós. Aqui dentro não deu para comemorar, mas quando chegamos em casa todas comemoramos muito. Além de tudo, ele é nosso garoto-propaganda – disse Sirlei Silva, enfermeira chefe do centro cirúrgico.


No pronto socorro, a vibração foi um pouco maior. Lá, os funcionários do hospital puderam sentir também como o povo recebeu a notícia no último sábado.

- Foi um assunto bem comentado. Estamos muito felizes que o padrinho do nosso hospital vai para uma Copa do Mundo – disse a enfermeira Marisa Petri.

Depois de participar como garoto-propaganda da campanha "Amigo do Hospital São Sebastião Mártir", Mano Menezes será convidado em breve para participar do projeto "Adote um Leito". A ideia é que empresários paguem a reforma de alguns quartos do local. O problema, no entanto, é arrumar espaço na agenda do técnico.

Inter obtém licença ambiental para iniciar obras no Complexo Beira-Rio

Presidente Vitorio Piffero receberá autorização formal das autoridades para reforma do estádio para a Copa de 2014

O estádio do Beira-Rio será reformado para 2014 (Foto: Reprodução / Site Oficial do Internacional)




A diretoria do Internacional receberá da Prefeitura Municipal de Porto Alegre as licenças ambientais para o início das obras do projeto de modernização e adequação do Complexo Beira-Rio para a Copa do Mundo de 2014.

A cerimônia de entrega será nesta quarta-feira, às 16h, no próprio estádio. O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, o ministro do Turismo, Luiz Barreto, o presidente do Internacional, Vitorio Piffero, estarão presentes no evento.

Para atender as exigências da Fifa, a diretoria colorada irá construir novas cabines de imprensa e reformar a arquibancada inferior e vestiários. A capacidade do estádio aumentará de 56 mil para 62 mil espectadores.

Mesmo não sendo uma solicitação da entidade, o Beira-Rio também ganhará uma cobertura de estrutura metálica, como forma de proporcionar mais conforto aos torcedores.

Seleção deve render a Mano título de cidadão emérito de Venâncio Aires

Na próxima segunda-feira, a Câmara dos Vereadores da cidade receberá o pedido. Técnico já é considerado cidadão honorário do município

Mano teve nome indicado para se tornar cidadão emérito de Venâncio Aires (Foto: Ag. Estado)




Começaram as homenagens a Mano Menezes. O ex-técnico do Corinthians assumiu oficialmente a Seleção Brasileira na segunda-feira, mas no interior do Rio Grande do Sul, antes mesmo que ele conquiste algum título, seu nome será indicado como cidadão emérito de Venâncio Aires, a 130 quilômetros de Porto Alegre.

Nascido em Passo do Sobrado, a 15 quilômetros de Venâncio Aires, Mano já foi considerado cidadão honorário em 2005, logo depois de conquistar a Série B com o Grêmio. Naquele ano, o técnico comandou o time da capital na épica vitória sobre o Náutico, que ficou conhecida com a Batalha dos Aflitos.

Na próxima segunda-feira, na Câmara de Vereadores da cidade, será entregue pelo vereador José Ademir Melchior, presidente do Guarani-RS em 2002, ano em que Mano levou o time à conquista do Estadual, um pedido para que Venâncio Aires torne o novo técnico da Seleção Brasileira cidadão emérito.

Mas qual a diferença entre cidadão emérito e honorário? O primeiro é um título dado aos cidadãos por méritos ou conquistas. E o segundo é um prestígio àquele que não nasceu na cidade, mas nela criou raízes e tornou-se uma honra para o município, como ocorreu com Mano Menezes em 2005.

Toda a vida profissional do atual técnico da Seleção Brasileira foi construída em Venâncio Aires. Foi na capital nacional do chimarrão que ele começou a trabalhar em uma empresa de fumo, depois no Sesi e, enfim, no Guarani-RS. Sempre que possível, o treinador está na cidade para tomar uma chimarrão com os amigos.

Mano treinou apenas quatro dos 24 convocados para Seleção Brasileira

Técnico, que só chamou um atleta do Corinthians, seu ex-clube, avisa para os outros jogadores não desanimarem


Dos 24 jogadores convocados por Mano Menezes para o amistoso com os Estados Unidos, dia 10 de agosto, em Nova Jérsei, apenas quatro já foram treinados por ele: Jucilei e André Santos, no Corinthians; Carlos Eduardo e Lucas, na época do Grêmio. Havia a expectativa de que o novo comandante da Seleção Brasileira chamasse mais atletas do Timão, seu ex-clube, mas somente Jucilei foi lembrado.


Mas os corintianos como Elias e Dentinho, por exemplo, não devem perder as esperanças. Mano avisou que está em constante observação e que chances podem aparecer no futuro.

- Quem se acha em condições de integrar a Seleção, precisa continuar fazendo seu trabalho que será convocado, independente do clube. Você procura seguir em uma linha, vai conhecendo os jogadores, vai observando a evolução de cada um. E vai surgir o espaço para todo mundo que está se destacando. É um trabalho longo pela frente, pode ter calma, a hora chega para todo mundo que estiver bem - avisou o treinador.

O técnico não deu esperanças somente aos jogadores que atuam no Parque São Jorge. Ele afirmou que não fará distinção entre atletas que estão no Brasil ou fora do país. Prova disso é que metade dos convocados está em clubes brasileiros.

- Não vamos convocar jogadores da Europa só porque estão jogando lá e talvez tenham um pouco mais de repercussão. Quando o jogador que está aqui no Brasil estiver bem, ele vai fazer parte da Seleção também. Mas sabemos que quando ele está aqui e vai para a Seleção, depois não fica no Brasil por muito mais tempo. Mas vamos seguir a linha de chamar sempre quem estiver bem.

Convocação de David Luiz ganha as manchetes da imprensa portuguesa

Zagueiro do Benfica é destaque na capa de 'A Bola' e 'Record' nesta terça. Clube de Lisboa recusa proposta de 32 milhões de euros do Chelsea

Pouco conhecido pelos torcedores brasileiros, o zagueiro David Luiz tem tanto prestígio em Portugal que ganhou nesta terça-feira a manchete dos dois principais jornais esportivos do país: a notícia da convocação do jogador do Benfica pelo técnico Mano Menezes para a Seleção virou a manchete de "A Bola" e "Record". Ídolo do time de Lisboa, o atleta revelado pelo Vitória ganhará sua primeira chance com a camisa amarelinha contra os Estados Unidos, dia 10 de agosto. O "Record" destaca ainda que o Benfica recusou uma proposta de 32 milhões de euros (R$ 73 milhões) do Chelsea pelo zagueiro, cobiçado por outros grandes clubes da Europa, como Real Madrid e Manchester City.

Psicólogo volta com força à seleção e vai ajudar a escolher o novo capitão

'O importante não é a faixa, mas a característica', diz Mano Menezes

Um dos pontos que chamou a atenção da CBF na eliminação da Seleção na última Copa do Mundo foi o descontrole emocional dos jogadores após o Brasil sofrer a virada da Holanda, nas quartas de final. A instabilidade de alguns jogadores ficou clara. Felipe Melo perdeu a cabeça, agrediu um adversário e foi expulso. Michel Bastos precisou ser substituído para não pelo mesmo caminho. O capitão Lúcio esqueceu a marcação e virou praticamente um atacante. Por isso, no organograma da nova comissão técnica, que vai ser comandada por Mano Menezes, existe a figura de um psicólogo. Um profissional que não chegou a trabalhar na seleção durante a Era Dunga.


O psicólogo, que ainda não foi escolhido, vai ajudar Mano Menezes, por exemplo, na escolha do novo capitão da Seleção Brasileira. A honra ficou com Lúcio na última Copa do Mundo. Mas como o zagueiro já tem uma idade avançada - está com 32 anos -, o futuro dele no grupo que vai ser formado por Mano Menezes é incerto.

- Não defini o capitão já que eu os conheço pouco pessoalmente. Mas para escolher a função é preciso ir muito além, usar o trabalho de um psicólogo que vai estabelecer as personalidades dos jogadores, ver como eles reagem em campo nos momentos mais difíceis. Um líder. Vamos escolher a pessoa certa para que a função não seja decorativa. O importante não é a faixa, mas a característica - disse o treinador.

O psicólogo também vai ter a missão de trabalhar a maturidade dos jogadores da Seleção. O treinador considera isso muito importante.

- Talvez tenhamos que investir mais na maturidade dos nossos jogadores, a saída precoce atrapalha muito.

A nova comissão técnica da Seleção Brasileira ainda não está completamente formada. Mano Menezes confirmou apenas a presença de Sidnei Lobo, como auxiliar-técnico, e Rafael Vieira, como analista de desempenho. Os dois já exerciam as funções no Corinthians. Falta definir o preparador físico, o preparador de goleiros, o chefe do departamento médico e o coordenador de seleções.

- Temos que ser uma seleção para suportar esta pressão e nos colocar como candidata ao título.

O primeiro desafio de Mano Menezes à frente da Seleção é o amistoso com os Estados Unidos, dia de agosto, em Nova Jersey.

Mano em Venâncio: bifão no almoço e no jantar. E com vinho...

Dono de restaurante parceiro do Guarani-RS relembra os hábitos do atual técnico da Seleção Brasileira quando comandava o modesto time gaúcho


Chico exibe o vinho que Mano mais gostava (Foto: Leandro Canônico / Globoesporte.com)




No pórtico de entrada de Venâncio Aires, município de 70 mil habitantes no interior do Rio Grande do Sul, há a seguinte inscrição: “capital nacional do chimarrão”. Desde a última segunda-feira, no entanto, outra frase poderia fazer companhia a essa. Talvez “cidade que formou o atual técnico da Seleção Brasileira”. Até porque em cada esquina da pequena cidade gaúcha há uma história relacionada a Mano Menezes, que nasceu em Passo do Sobrado, mas foi “adotado” pelo local.

A começar por um restaurante na avenida principal de Venâncio Aires. Especializado em carnes, o Bifão era um antigo parceiro do Guarani-RS, clube em que Mano Menezes foi zagueiro no final da década de 80 e treinador em outras quatro oportunidades (1997, 1999, 2002 e 2003). Era lá que o então comandante do Rubro-Negro almoçava e jantava com seus jogadores. Como lembra o dono do local, o atual técnico da Seleção era quem comandava as resenhas.

- O Mano era um parceiro da casa. Vinha sempre aqui. Ele é um cara muito bem quisto em Venâncio Aires e adorava ficar aqui conversando. Era ele quem liderava as resenhas. Sempre foi um sujeito cabeça aberta, muito inteligente. Eu servia o almoço dos jogadores e ele estava aqui no almoço e na janta. Não me lembro ao certo o que ele costumava pedir para comer, mas ele nunca foi fresco. Comia de tudo – contou Gilberto Léo Genz, de 51 anos, mais conhecido como Chico do Bifão.

Proprietário do restaurante desde 1982, Chico acompanhou o crescimento profissional de Mano Menezes bem de perto. Até porque o seu estabelecimento é um reduto esportivo e político da região. Por lá se encontram dirigentes e jogador do Guarani, assim como vários políticos e militantes da região.

- É muito bom poder ver o crescimento do Mano. Aqui na cidade todos ficaram muito felizes de vê-lo ser contratado pela Seleção Brasileira. O Mano sempre foi um cara dedicado no futebol – acrescentou o dono do local.


Chico do Bifão e Mano Menezes, porém, chegaram a ser “rivais” em determinado momento. Mas não pode questões esportivas, mas sim comerciais.

- Fomos concorrentes certa vez, porque o Mano tinha o Verde Bar aqui em Venâncio Aires. Era um bar no centro, que agora não existe mais – contou Chico.

Passado esse momento, Mano Menezes não só almoçava e jantava em várias oportunidades no Bifão, como também escolhia o lugar para fazer uma das coisas que mais aprecia atualmente: degustar um bom vinho.

- Naquela época ele adorava tomar o Marcus James, que é feito em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha... – lembrou Chico Bifão.

No próximo dia 10 de agosto, no amistoso da Seleção Brasileira, contra os Estados Unidos, em Nova Jérsei, é certo que as televisões desse restaurante estarão ligadas no jogo do Brasil, com todos de olho naquele que um dia comeu naquelas mesas.

Mano Menezes revela 'não' de jogador que disputou a última Copa

Treinador entrou em contato com todos os jogadores que atuam no exterior antes da convocação e escutou pedido de dispensa de um atleta



Mano Menezes teve dois dias para montar a primeira lista de convocados no comando da Seleção Brasileira. Pouco tempo, principalmente porque é preciso fazer uma renovação após a eliminação nas quartas-de-final da Copa do Mundo. O treinador chamou nesta segunda-feira 24 jogadores para o amistoso contra os Estados Unidos, no próximo dia 10 de agosto, em Nova Jérsei. Deles, 12 atuam no exterior e quatro estavam na África do Sul: Robinho, Ramires, Thiago Silva e Daniel Alves. Era para ter mais um remanescente do grupo de Dunga, mas o novo comandante da Seleção ouviu um "não".


Mano Menezes se preocupou em entrar em contato por telefone e conversar com os jogadores que atuam no exterior e também com quem disputou a última Copa do Mundo. O treinador queria saber a condição de cada um por causa das férias pelo calendário europeu. E escutou de um jogador que esteve na África do Sul que não era o melhor momento para voltar à Seleção Brasileira. O novo comandante não revelou os motivos que levaram o atleta a pedir a dispensa do amistoso contra os Estados Unidos.

- Dizer que não está bem para ir para Seleção é uma postura respeitável. Vou guardar o nome e considerar muito as opiniões dele no futuro... - disse, descontraído, Mano Menezes.

O treinador preferiu não revelar qual foi o jogador que pediu para não estar na primeira lista. Ao ser questionado se o nome do atleta começava com a letra "k"...

- O nome não começa com o K (risos) - disse Mano Menezes, que em seguida completou a frase percebendo que ficou um ar de desconfiança já que o nome de Kaká, na verdade, é Ricardo.

- Posso omitir as coisas, mas não mentir (risos)... Mas não é o Kaká - completou.

Mano Menezes procurou deixar claro que não tem qualquer restrição com os jogadores que disputaram a última Copa do Mundo. Admitiu que a idade avançada de alguns como Gilberto (34), Gilberto Silva (33) e Lúcio (32) pode afastá-los da Seleção em um processo natural de renovação.


- Tive uma conversa com os jogadores que são remanescentes e jogaram a última Copa, pois sei que eles tiveram um desgaste maior. Ainda é um momento de recuperação. Quando você não ganha, você acaba sentindo muito, você se desgasta mais. Não é necessário utilizá-los neste primeiro momento. Nós não estamos excluindo nenhum jogador que participou da Copa, apenas se entendeu que, para a maioria, deve-se dar um descanso. Depois as coisas devem andar normalmente. Se acharmos - e provavelmente vamos - que alguns deles devem novamente fazer parte da Seleção, eles vão fazer - disse o treinador.

A seleção brasileira vai seguir para os Estados Unidos no dia 8 de agosto. No dia 9 faz o reconhecimento do gramado e no dia 10 enfrenta os americanos, em Nova Jérsei, na estreia do treinador.

Surpresa da Seleção de Mano, 'elétrico' Renan recebe festa na cidade-natal

Jovem goleiro de 19 anos é popular e famoso por suas brincadeiras, mas exaltado pela dedicação e rápido aprendizado nos treinos do Avaí


Em 14 partidas no Avaí como profissional até aqui, Renan está invicto (Foto: Ag. Estado)




O goleiro Renan, do Avaí, foi uma das maiores surpresas da primeira convocação do técnico Mano Menezes na Seleção Brasileira, nesta segunda-feira. O chamado surpreendeu o jovem de 19 anos e também sua família, que nem sequer acompanhava quando o treinador lia a lista dos escolhidos para o amistoso contra os Estados Unidos, no próximo dia 10 de agosto. Apesar disso, a mobilização foi rápida, e o jogador, que mora com companheiros de equipe em uma casa cedida pelo clube em Florianópolis, foi recebido com grande festa na casa da mãe, em São João Batista, cidadezinha a cerca de 75km da capital de Santa Catarina. Mais de 25 pessoas o esperavam na noite desta segunda-feira.

Sua mãe, a assessora pedagógica Cleide Aparecida, organizou a festa, que é comum a cada jogo do Avaí longe da Ressacada. Segundo ela, Renan sempre foi muito popular na cidade e faz até torcedores de times rivais, como Criciúma e Figueirense, torcerem pelo Leão da Ilha.

- A gente não estava esperando. A ficha ainda não caiu, está todo mundo muito emocionado, foi surpresa total. O movimento aqui na frente de casa está grande - contou, por telefone.

Além de mãe, Cleide foi a primeira professora de Renan, na escola, e o descreveu como um garoto levado e "elétrico". O preparador de goleiros do Avaí, Sandro Daros, confirma que o jogador é mesmo espirituoso e gosta de brincar com as pessoas, desde o presidente do clube até os funcionários da manutenção da Ressacada.

- Onde ele está, há alegria - resumiu Cleide.

Seriedade nos treinos

Mas não se confunda essa descontração com falta de seriedade. Além de religioso - católico que frequenta a igreja de Nova Trento sempre que possível, durante suas visitas aos pais nas folgas - é bastante dedicado e, segundo Almir Gil, coordenador das categorias de base do Avaí, sempre vai ao limite nos treinos, desde que chegou à Ressacada, em maio de 2007. Foi graças ao trabalho no clube que Renan começou a se destacar na Copa São Paulo de Juniores de 2009, quando o Avaí foi à semifinal contra o Corinthians e perdeu nos pênaltis. Em outubro do mesmo ano, o arqueiro teve sua primeira chance entre os profissionais e fechou o gol no clássico contra o Figueirense, em outubro, pela Copa Santa Catarina, competição que costuma contar com os reservas das equipes do estado.

A ascensão a partir daí foi meteórica. Renan começou o ano como terceiro reserva, atrás do titular Zé Carlos e de Paes. Durante o Campeonato Catarinense, atuou em seis partidas e passou à frente de Paes, que recentemente se desligou do clube. Em maio, o goleiro substituiu Zé Carlos quando este foi expulso no empate contra o Cruzeiro e jogou a partida seguinte, vitória sobre o Vasco. Durante o Torneio de Florianópolis, atuou contra o Coritiba e o novo técnico, Antônio Lopes, gostou do que viu, confirmando-o como titular. Foram duas vitórias e dois empates na Série A desde então, mantendo sua invencibilidade no gol azurra - em 14 jogos, dez vitórias e quatro empates.

Renan tem boa altura, 1,92m, sai bem do gol e também se vira bem debaixo das traves. Segundo o preparador de goleiros do Avaí, Sandro Daros, o garoto tem uma personalidade segura, interage bem com os companheiros dentro de campo e tem fácil assimilação.

- Ele mesmo costuma dizer que ele era uma vergonha e não acredita na evolução que teve no Avaí. Ele chegou sempre se prontificando a trabalhar bastante. É um garoto que merece essa convocação pelo trabalho que vem desempenhando ao longos dos anos - disse Daros.

Mano Menezes promete seleção mais aberta e mostra descontração

Técnico brinca na primeira coletiva, fala que "não é de mentir, só de omitir", diz que aceita críticas, mas só pede respeito na relação com a imprensa

Mano Menezes na coletiva da Seleção Brasileira (Foto: Vipcom)



Vestindo um terno cinza, com um jeito calmo e educado, Mano Menezes iniciou, nesta segunda-feira, o seu trabalho à frente da Seleção Brasileira. Foram 46 minutos de entrevista coletiva após a primeira convocação. E o treinador se mostrou tranquilo, não se incomodou com nenhuma pergunta, e vou logo brincando:


- Vamos estabelecer uma regra de relacionamento: não sou de mentir, mas omito algumas coisas (risos) - disse o treinador.

Mano Menezes prometeu uma Seleção mais aberta daqui em diante e disse que é preciso encontrar um meio termo em relação ao que aconteceu nas duas últimas Copas do Mundo. Em 2006, a preparação foi considerada uma festa, com a presença maciça dos torcedores nos treinos e jogadores virando a noite em festas durante as folgas. Em 2010, o que se viu foi um regime extremamente fechado, com treinos secretos, poucas folgas e contato restrito com familiares.

- No futebol nós temos 17 regras. Uma vez fiz um curso de arbitragem e aprendi que existia a 18, que se chamava bom senso. É isso que pretendo adotar. O que aconteceu nesta Copa tem ligação direta com o que ocorreu na outra. Agora estamos mais maduros, sabemos que se perde e se ganha de todas as maneiras, com festa, sem festa, com treino fechado, aberto. O que importa é uma boa preparação.


Sobre o relacionamento com a imprensa, o treinador demonstrou que o clima tenso da época de Dunga vai ficar no passado. Tranquilo, Mano Menezes disse que as críticas fazem parte do trabalho e só pediu respeito entre as partes.

- Não tenho ilusões sobre essa questão. Não basta ser simpático, ser agradável. Se não ganhar, haverá cobranças e isso passa a ser um discurso vazio. Trato todo mundo com respeito e gosto de ser tratado assim. Não tenho aversão à critica, desde que ela seja respeitosa e construtiva, não vejo problema algum.

Sob o olhar do auxiliar Sidnei Lobo, o treinador garantiu que não vai cuidar da vida pessoal dos jogadores. Mas vai ficar atendo ao que acontece fora do campo.


- Não é possível controlar a vida do jogador de futebol. Não vou ficar correndo atrás de homem. Eles precisam ter noção clara do que significa ser jogador profissional, ainda mais da Seleção Brasileira. A partir do momento que qualquer atitude se refletir em algo negativo para o nosso trabalho ou para a imagem da Seleção vamos ter uma conversa objetiva e direta.

Mano Menezes mostrou-se consciente da pressão por resultados e considera cedo para falar da Copa do Mundo de 2014

- A gente sempre se acha melhor que a maioria, embora nos últimos anos tenha levado umas tamancadas fortes. Nas últimas duas Copas, não conseguimos e temos de resgatar essa condição.

Convocação surpreende Renan, que já vislumbra 'algo melhor' na Seleção

Goleiro de 19 anos do Avaí foi surpresa da lista de Mano Menezes, nesta segunda-feira, para amistoso contra os Estados Unidos

O goleiro Renan, do Avaí, foi pego de surpresa com a convocação para a Seleção Brasileira, nesta segunda-feira, na primeira relação feita pelo novo treinador Mano Menezes. O garoto de 19 anos assumiu a posição de titular do Leão da Ilha há quatro rodadas, com a lesão que tirou Zé Carlos de ação, e não saiu mais.


Renan ficou sabendo do chamado durante as atividades de musculação no clube, informado pelos fisioterapeutas que acompanhavam a convocação pela TV. Antes de falar em uma entrevista coletiva, o jogador ainda participou de um jogo-treino contra o Camboriú. O goleiro não esperava ser lembrado por Mano Menezes tão cedo, mas já começa a pensar grande.

- Eu não esperava, a ficha não caiu ainda, mas todo jogador trabalha pra isso, chegar à Seleção Brasileira. Fiquei surpreso, mas agora espero conseguir algo melhor ainda na minha carreira - disse, por telefone, ao GLOBOESPORTE.COM.

Durante sua coletiva, o arqueiro agradeceu aos pais, ao preparador de goleiros do Avaí, Sandro Daros, ao ex-professor das categorias de base, Marcão, e a Deus. A expectativa é de ser reserva, com os chamados de Victor, do Grêmio, e Jefferson, do Botafogo, mas para quem assumiu a titularidade no Avaí há pouco tempo e chegou à Seleção tão rápido, nada é impossível.

- Vou realizar o meu trabalho com muito respeito e muita dedicação, da mesma forma que fiz aqui no Avaí para conquistar o meu espaço. É assim que vou fazer na Seleção - afirmou.

Campeão sub-17 em 2003, Éderson vibra com chance no time principal

Esse chamado é a realização de um sonho’, diz meia do Lyon

Uma das várias surpresas na lista de convocados de Mano Menezes para seleção brasileira, o meia Éderson não escondeu sua satisfação pela sua primeira oportunidade na equipe principal. Camisa 10 do Lyon, o jogador natural de Parapuã, interior de São Paulo, lembrou que aguarda a chance desde que foi campeão mundial sub-17 com o Brasil em 2003.


- Esse chamado é a realização de um sonho e um reconhecimento do trabalho que tenho feito aqui no Lyon. Espero por esse momento desde que fui campeão com a nossa seleção. O Mano é um treinador atento ao futebol e, por isso, não me surpreende e, sim, deixa muito contente. Agradeço muito ao nosso treinador e garanto que vou me esforçar ao máximo para deixá-lo impressionado - disse Ederson por intermédio de sua assessoria de imprensa.

Ederson já fez 82 partidas pelo Lyon e anotou 13 gols. O meia já atuou pelo Nice, também da França e, no Brasil, jogou por Juventude e Internacional, além do RS Futebol, clube que o revelou.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Jefferson: ‘Dedico essa convocação a todos os botafoguenses’

Goleiro ganha camisa da seleção personalizada para dar entrevista coletiva. Depois de 12 anos, Glorioso volta a ter um atleta na Seleção Brasileira

Jefferson com a camisa da Seleção (Foto: Thiago Fernandes / Globoesporte.com)

Durante a Copa do Mundo de 2010, os botafoguenses torceram pelo Uruguai por causa de Loco Abreu. Mas, agora, não vão precisar “virar a casaca” para vibrar com um jogador do Glorioso na seleção. O goleiro Jefferson foi convocado pelo técnico Mano Menezes para o primeiro amistoso do Brasil após o Mundial da África do Sul, dia 10 de agosto, contra os Estados Unidos, em Nova Jérsei.

Emocionado, Jefferson concedeu entrevista coletiva na sede de General Severiano. Das mãos do presidente Maurício Assumpção, recebeu uma camisa de goleiro da seleção personalizada, em um gesto que demonstra o orgulho que o clube sente por voltar a ter um jogador na seleção após 12 anos (apesar de ser o time que mais cedeu atletas para a seleção em Copas do Mundo, desde 98, com Bebeto e Gonçalves, o Glorioso não tinha um jogador chamado para representar o país).


Mas se o Botafogo demonstrou orgulho por Jefferson, a recíproca também foi verdadeira. Questionado sobre a importância do clube para a sua primeira convocação para a seleção principal, o goleiro deu uma demonstração de carinho pelo Glorioso.

- O Botafogo representa tudo. Agradeço a todas as pessoas que fizeram um esforço para que eu pudesse voltar ao clube. Dedico essa convocação a todos os botafoguenses. O Botafogo é um clube grande, que merece ter jogadores na Seleção Brasileira sempre.

Jefferson contou que tinha esperanças de ser convocado. Tanto que assistiu à divulgação da lista em casa, ao lado da família.

-. Eu estava com uma expectativa muito grande, tanto que estava na sala. Nem falava muito com a minha esposa para não ficar mais nervoso. Isso é reflexo de um trabalho que vinha sendo bem feito. Graças a Deus, fomos coroados com a convocação. Agradeço a oportunidade que o Mano Menezes está me dando

Bastante contido no dia a dia, o goleiro revela que extravasou bastante na hora em que ouviu o seu nome ser pronunciado pelo técnico.


- Gritei e agradeci muito a Deus. Eu sou mais quieto, mas por dentro estou vibrando muito. Abracei minha esposa, e comemoramos juntos.

Pés no chão

Apesar de toda a empolgação, Jefferson sabe que o caminho até a Copa de 2014 ainda é muito longo. E também tem a certeza que, hoje, a Seleção já tem um titular no gol.

- Não posso ser hipócrita e dizer que vou brigar pela camisa número um. Respeito e admiro muito o Julio César. Sei que ele é o titular. Vou buscar o espaço dentro de campo e tentar fazer o meu melhor.

Na seleção, Jefferson vai reencontrar um antigo companheiro de... seleção. O goleiro e Daniel Alves foram campeões mundiais sub-20, em 2003. A final da competição foi a última vez em que o arqueiro vestiu a camisa da Seleção. Até agora.

- Estava com saudades já – brincou.

A apresentação da seleção para o amistoso contra os Estados Unidos será no dia 8 de agosto

Mano avisa que 'fila anda' e chama Seleção mais nova que a da Copa

Média de idade do grupo chamado pelo novo treinador é de 23,1 anos. Apenas cinco jogadores têm mais de 25 anos, e sete possuem idade olímpica

Mano Menezes ao lado de Ricardo Teixeira na primeira convocação da seleção (Foto: Ag. Estado)




Depois de ter a seleção mais velha entre os 32 países que disputaram a última Copa do Mundo, com uma média de 29,3 anos segundo a estatística da Fifa, Mano Menezes iniciou, nesta segunda-feira, a renovação na Seleção Brasileira com um grupo seis anos mais novo. Os 24 jogadores convocados pelo novo treinador formam uma equipe com média de 23,1 anos. Sete atletas têm idade de disputar as Olimpíadas de Londres, em 2012: o goleiro Renan, o lateral Rafael, os meias Sandro e Paulo Henrique Ganso e os atacantes Neymar, André e Alexandre Pato.

A seleção levada por Dunga para a última Copa do Mundo foi a mais velha da história do futebol brasileiro na competição. Eram nove jogadores acima da casa dos 30, entre eles o lateral Gilberto (34), o volante Gilberto Silva (33), e os zagueiros Lúcio (32) e Juan (31). Já a primeira lista de Mano Menezes há apenas cinco jogadores com mais de 25 anos de idade. Os goleiros Victor e Jefferson e o lateral Daniel Alves são os mais experientes com 27 anos.

- Nesta convocação colocamos sete jogadores com idade para disputar os Jogos Olímpicos de Londres. Isso visando a um trabalho paralelo e buscando prepará-los para o momento quando chegar as Olimpíadas. Acho possível fazer isso. Mesmo quem não jogue vai vivenciar este ambiente de seleção. É algo importante. Vai ver o pensamento do treinador, algo que só o dia a dia permite. Se busca com isso um início de trabalho. Temos que partir de um ponto - disse Mano Menezes.


Ramires era o jogador mais jovem da seleção de Dunga com 23 anos e também faz parte da primeira lista de Mano Menezes. Do elenco que representou o Brasil na África do Sul, apenas o meia do Benfica, Thiago Silva e Nilmar terão menos de 30 anos na Copa de 2014. O atacante, porém, completaria a idade durante o Mundial, já que faz aniversário no dia 14 de julho. Robinho terá 30 anos.

- No futebol, como na vida, a fila anda. Temos que respeitar a idade. Outros estarão mais preparados para ocupar a vaga de quem passou por aqui. Isso vale como regra geral na vida - disse Mano Menezes.

Dos 24 convocados, só 23 seguem para o amistoso contra os Estados Unidos. Hernanes ou Sandro vai ser cortado do amistoso do próximo dia 10 de agosto contra os Estados Unidos, em Nova Jérsei, dependendo do resultado de Internacional e São Paulo na semifinal da Taça Libertadores. Dez são estreantes na Seleção principal. O goleiro Renan, do Avaí, o volante Jucilei, do Corinthians, e o meia Éderson, do Lyon, foram as principais novidades na lista do novo treinador.

- Pensamos em fazer um trabalho de renovação. Não pensamos só na Copa de 2014, mas também nas Olimpíadas.

Convocados por Mano, Pato e André Santos comemoram retorno à seleção

Atacante do Milan lembra que pode ter a chance de disputar os Jogos Olímpicos mais uma vez

Pato dá autógrafos antes de treino do Milan (Foto: reprodução / site oficial do Milan)




Dois jogadores que ficaram fora das últimas listas da seleção brasileira comemoraram nesta segunda-feira o retorno à equipe canarinho: Alexandre Pato, atacante do Milan e que não era chamado desde 2009, e André Santos, lateral-esquerdo do Fenerbahçe e que ficou fora da relação do ex-treinador Dunga para a Copa do Mundo de 2010.

- Nunca encontrei com ele (Mano) pessoalmente e vou ter esse prazer. Estou muito feliz por esse meu retorno. Mano Menezes é um ótimo treinador e vai fazer um grande time e uma grande família para chegar na Copa e ser campeão - afirmou Alexandre Pato, em entrevista ao programa “Tá na Área”, do SporTV.

Pato, que já está há uma semana fazendo pré-temporada com o Milan, lembrou que espera ter a oportunidade de participar mais uma vez dos Jogos Olímpicos. Na coletiva após a divulgação da lista, Mano Menezes citou Pato e mais outros seis jogadores convocados com idade olímpica.

- Tenho a chance de disputar as Olimpíadas novamente (ele esteve em Pequim-2008) e espero aproveitar essas chances e dar o meu melhor para chegar na Copa também - observou o ex-atleta colorado.

O lateral André Santos, que foi comandado por Mano Menezes durante um ano e meio no Corinthians antes de se transferir para o futebol turco, rasgou elogios ao novo comandante.

- Eu tenho certeza que a CBF foi muito feliz e o Ricardo Teixeira também foi muito feliz na escolha do professor Mano. É uma excelente pessoa, tem um ótimo currículo de trabalho e tem demonstrado isso nos últimos anos. Ele pode servir muito bem à seleção brasileira, tenho certeza disso. É uma excelente pessoa, um excelente treinador. Tive a oportunidade e o prazer de trabalhar com ele, de seguir esse trabalho de perto, então eu tenho certeza que ele vai conduzir a seleção da melhor maneira possível porque ele é uma excelente pessoa e um excelente profissional também - observou André Santos.

Adepto do 4-2-3-1, Mano afirma que o mais difícil para ele é convocar laterais

Técnico lembra que muitos atletas que são desta posição atuam em seus clubes com pouca obrigação defensiva

Mano Menezes na sua primeira convocação na Seleção Brasileira (Foto: Ag. Estado)




Em sua primeira entrevista coletiva como técnico da Seleção Brasileira, nesta segunda-feira, no Rio de Janeiro, Mano Menezes já revelou o esquema tático em que, inicialmente, vai trabalhar a equipe: o 4-2-3-1. Ele acredita que esta formação é bastante moderna e privilegia a presença de homens de frente.

- Gosto de jogar com linha de quatro. Ao contrário dos clubes, na Seleção, onde podemos escolher jogadores, é possível escolher esquema tático. Gosto de jogar mais vezes no 4-2-3-1. Talvez seja o caminho para os próximos anos no futebol. Quase que tiramos os atacantes todos, agora estamos devolvendo - analisou o treinador.

Mano disse que, com esta formação, o mais difícil para ele é na hora de convocar é escolher os laterais, já que muitos atuam em seus clubes como alas ou até meias. Na lista divulgada nesta segunda, ele chamou para a posição Daniel Alves (Barcelona), Marcelo (Real Madrid), Rafael (Manchester United) e André Santos (Fenerbahçe). Os dois primeiros costumam jogar sem muitas obrigações defensivas em seus times.

- Sempre vou enxergar os laterais nesta montagem de equipe (com linha de quatro atrás). Esta talvez seja a posição de mais dificuldade para escalar, já que muitos clubes jogam com linha de três. Lateral não é ala.

Sobre a possibilidade de os torcedores verem uma Seleção mais ofensiva, praticante do "futebol arte", o treinador disse que vai se preocupar em armar o time da forma que considera mais adequada para conseguir as vitórias.


- Vou procurar escalar de uma maneira que nos coloque mais próximos de vencer. Se conseguirmos isso da forma mais bonita possível, será ótimo. Derrotas são difíceis de ser digeridas, até porque nos achamos melhores, apesar de algumas tamancadas fortes recentes. Vamos ter que resgatar isso. Continuamos tendo excelente qualidade técnica.

O Brasil enfrenta o Estados Unidos no dia 10 de agosto. A partida amistosa será realizada em Nova Jersey.

Para Victor, convocação afasta trauma de não ser chamado para Copa

Goleiro admite mágoa por não ter sido chamado por Dunga e diz que vai tentar se firmar na Seleção Brasileira de Mano Menezes

Victor admitiu que trauma da ausência da Copa lhe atrapalhou (Foto: Wesley Santos / Agência Estado)



A primeira convocação de Mano Menezes como técnico da Seleção Brasileira, nesta segunda-feira, serviu, entre outras coisas, para espantar o trauma do goleiro Victor. O camisa número 1 do Grêmio afirmou que ficou muito chateado por não ter ido à última Copa do Mundo, mas se disse muito feliz e confiante com o chamado do novo comandante.


– Estou muito feliz, muito feliz mesmo. Acho que a convocação da Copa tinha sido meio traumática, foi uma situação que me chateou bastante, mas agora é um projeto novo, tudo novo. Fico feliz por poder estar iniciando com o Mano nessa nova era e vou tentar me firmar como goleiro da Seleção – declarou.

Victor disse que, desta vez, não criou tanta expectativa pela convocação, mas não deixou de acompanhar nome por nome a lista divulgada por Mano Menezes esta tarde. Segundo o goleiro, quando saiu seu nome, lá no fim - já que começa com V, e a leitura foi feita em ordem alfabética - o vestiário gremista vibrou como se tivesse sido marcado um gol.

– Eu estava fazendo o trabalho pós-jogo e acompanhando, e foi em ordem alfabética, o que me torturou um pouco. Até falei para a minha mãe que ela poderia ter colocado meu nome de Abraão, algo assim (risos). Mas foi legal. Eu até achei que ele iria convocar só dois goleiros, então depois que ele falou Jefferson e Renan, achei que eu estava fora. Quando ele falou meu nome, a vibração no vestiário foi como se fosse uma comemoração de gol do Grêmio – contou.

O goleiro não esconde que o fato de não ter sido convocado para a Copa pode ter afetado o desempenho dele dentro de campo.

– Pode ter atrapalhado no início, se criou uma expectativa muito grande. Quando não é convocado, fica um aborrecimento, mas procurei trabalhar em cima disso, fazer com que não afetasse. Alguma coisa acaba levando para dentro do campo, mas tem que cuidar para não atrapalhar – destacou.

O primeiro amistoso da Seleção Brasileira de Mano Menezes será dia 10 de agosto, nos Estados Unidos, contra a seleção do país.

Ganso: 'É o Quarteto Santástico que agora vai representar a seleção'

Meia comemora presença dos alvinegros na lista de Mano Menezes. Neymar já fala até em coreografia com a camisa amarela

André, Neymar e Ganso após o treino do Santos (Foto: Adilson Teixeira Barros / Globoesporte.com)


Chegou a hora de os Meninos da Vila, que encontaram o Brasil no primeiro semestre, mostrarem que podem brilhar também com a camisa amarela. Paulo Henrique Ganso, Neymar, André e Robinho são os respresentantes alvinegros na nova Seleção Brasileira, que começou a ser esboçada nesta segunda-feira.

O técnico Mano Menezes anunciou a lista nesta segunda-feira, no Rio de Janeiro, e confirmou o que muitos esperavam (as chamadas de Ganso, Neymar e a permanência de Robinho) e algo que nem mesmo os santistas aguardavam (a convocação de André). O Brasil enfrenta os Estados Unidos, no dia 10 de agosto, em amistoso que será disputado em Nova Jersey.

- Enfim, chegou a chance de vestir a camisa da seleção. Estou feliz também pelos companheiros convocados. É o Quarteto Santástico que vai representar bem a seleção brasileira. Espero que nós possamos mostrar o futebol alegre e vistoso também na Seleção - afirmou Ganso.

Neymar, por sua vez, já fala até em ensaiar novas dancinhas para comemorar gols com a camisa amarela. As dancinhas viraram marca registrada dos garotos alvinegros

- É uma felicidade não só para mim, como para os outros jogadores do Santos, nossos familiares. Agora, vamos chegar lá na Seleção. No começo, vou estar ainda meio tímido, mas depois vou me soltando. Vamos ter tempo para ensaiar umas coreografias até lá. André, pego de surpresa com a convocação, ficou emocionado. Ele admite que ninguém, nem mesmo no clube, esperava que ele fosse ser chamado, mas diz que lá no fundo, mantinha uma pontinha de esperança.

- É. Eu acho que foi uma surpresa mesmo. Mas eu tinha um pouquinho de esperança sim. Meu pai (Lenílson Marins) deve estar correndo feito louco lá em casa. É um dia maravilhoso. Não só para mim, como para todo mundo aqui do Santos - comentou André. O Santos é o time com mais jogadores na primeira lista de Mano Menezes.

O atacante, que está vendido para o Dinamo de Kiev, da Ucrânia, já não será jogador do Santos quando o Brasil enfrentar os Estados Unidos. Ele agradeceu muito ao clube e também a Mano Menezes pela lembrança. No entanto, apesar de estar emocionado, garantiu que não chorou no momento em que recebeu a notícia. O atacante estava treinando no campo, junto com os reservas, quando Ganso, Neymar e os outros titulares, que treinavam na academia de musculação, invadiram o campo para abraçar o amigo.

- Quero avisar aqui que o André chorou - afirmou Ganso.

- Não chorei nada! - respondeu em cima André.

Robinho não quis conceder entrevista.

Satisfeito com convocação, Lucas lembra início da carreira com Mano

Volante do Liverpool diz que ficou desapontado por não ter sido lembrado no trabalho para a Copa do Mundo da África do Sul

Lucas disse que sonha disputar a Copa do Mundo de 2014, no Brasil (Foto: agência EFE)




Titular do Liverpool, o volante Lucas recebeu com muita satisfação a convocação para a Seleção Brasileira, que jogará contra os Estados Unidos, no dia 10 de agosto. Chamado pelo novo técnico, Mano Menezes, o jogador revelou que ficou um pouco desapontado por não ter sido lembrado na caminhada da última Copa do Mundo.

- Quando vimos meu nome na lista, foi uma grande festa aqui em casa e o telefone não parou de tocar. Tinha a expectativa de disputar a Copa de 2010, participei de todo o processo, mas não deu e agora espero continuar minha trajetória na Seleção. Ainda sou jovem e continuo sonhando disputar uma Copa. Continuarei fazendo bem meu trabalho no clube para ter essa oportunidade - contou.

Lucas, que trabalhou com Mano no Grêmio no início da sua carreira, disse que o treinador foi um dos responsáveis por sua ascensão no futebol.

- Foi ele quem me promoveu para os profissionais no Grêmio e juntos conquistamos a Série B do Campeonato Brasileiro, dois Campeonatos Gaúchos e chegamos à final da Taça Libertadores da América. Será um prazer voltar a trabalhar com ele, ainda mais na Seleção. Fico feliz por saber que ele continua confiando em mim, mesmo sem trabalharmos juntos há três anos, e por ter continuado acompanhando meu desempenho no Liverpool - explicou Lucas

Maradona deve deixar seleção, dizem fontes próximas ao treinador

Assessor da AFA, Ernesto Cherquis Vialo, informou que o futuro da equipe argentina será decidido nesta terça, em nova reunião

Maradona: fontes ligadas ao técnico garantem que Pibe deixa a seleção argentina (Foto: Getty Images)



Diego Maradona deve entregar o comando da seleção argentina. É o que informaram fontes ligadas ao treinador, após reunião entre Dieguito e o presidente da Associação de Futebol do país (AFA), Julio Grondona.


Durante o encontro, o técnico teria feito algumas exigências para continuar no cargo, enquanto o presidente da AFA, por sua vez, propôs mudanças na comissão técnica, o que não foi aceito pelo Pibe.

O porta-voz da associação, Ernesto Cherquis Vialo, informou que outra reunião será realizada nesta terça-feira com o comitê executivo da organização, que vai definir o futuro da seleção.

Maradona dirigiu a Argentina na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, depois de conseguir a classificação de maneira dramática, na última rodada das eliminatórias, contra o Uruguai. O técnico foi um dos protagonistas do Mundial em que a Argentina foi eliminada pela Alemanha, por 4 a 0, nas quartas-de-final.

Comissão de Mano Menezes terá analista de desempenho e psicólogo

Técnico da Seleção Brasileira terá ao lado dois profissionais que trabalharam com ele no Corinthians: Sidnei Lobo e Rafael Vieira

Mano Menezes em sua apresentação como técnico da Seleção Brasileira (Foto: Ag. Estado)



No evento em que divulgou sua primeira lista de convocados como treinador da Seleção Brasileira, nesta segunda-feira, em um hotel da Zona Sul do Rio de Janeiro, Mano Menezes comentou também sobre como será a formação da comissão técnica. Ele trabalhará ao lado de dois profissionais que estavam com ele no Corinthians: o auxiliar Sidney Lobo e o analista de desempenho Rafael Vieira.


A novidade será a contratação de um psicólogo, mas o nome ainda não está definido. A iniciativa foi tomada depois dos episódios de instabilidade de alguns jogadores brasileiros na Copa do Mundo, como a expulsão de Felipe Melo na partida contra a Holanda. Mano Menezes disse que também avalia como importante a figura de um coordenador técnico para o lugar de Américo Faria. Um dos cotados para a função é Carlos Alberto Parreira.

- Acho necessário para fazer o trabalho de elaboração do calendário e o acompanhamento de competições com especificidade de dados para dar embasamento ao trabalho - disse o comandante do Brasil.

Sobre o departamento médico, Mano disse que será escolhido um chefe, e que, posteriormente, este profissional será o responsável por montar sua equipe.

- Não gosto de ser o único a decidir sobre tudo. Não entendo de medicina esportiva. Melhor é escolher um chefe e aí ele monta a equipe. Elaborei um plano que vou mostrar ao presidente Ricardo Teixeira.

O primeiro desafio de Mano Menezes à frente da Seleção é o amistoso com os Estados Unidos, dia de agosto, em Nova Jersey.

Thiago Silva e Carlos Eduardo vibram por chance na nova Seleção

Zagueiro e meia estiveram presentes nas chamadas de Dunga para a Copa do Mundo da África do Sul. Agora, fazem parte da lista de Mano Menezes

Thiago Silva, que ainda está de férias no Rio, foi chamado por Mano Menezes (Globoesporte.com)




A lista de convocados do novo técnico da Seleção Brasileira, Mano Menezes, voltou a trazer nomes que fizeram parte do trabalho do seu antecessor Dunga. O meia Carlos Eduardo, do Hoffenheim, e o zagueiro Thiago Silva, do Milan, demonstraram muita satisfação em serem lembrados por Mano Menezes.


Thiago, que foi à Copa do Mundo, na África do Sul, comemorou a oportunidade de participar do processo de renovação visando 2014 e desejou sorte ao novo treinador.

- Mais uma vez fico muito contente com a convocação para defender o Brasil. Tinha o sonho de disputar uma Copa do Mundo e desejo agora participar desta nova etapa da seleção brasileira visando ao Mundial de 2014, em nossa casa. Vou procurar trabalhar como sempre fiz e espero conquistar a confiança do Mano Menezes, nosso novo comandante. Desejo sorte a ele e tenho certeza de que estamos em boas mãos - disse Thiago, que ainda está de férias no Rio de Janeiro.

Já Carlos Eduardo, que estava na lista dos 30 convocados para o Mundial, lembrou da época em que trabalhou com Mano Menezes no Grêmio.


- Trabalhei com o professor Mano Menezes no Grêmio. Fizemos uma boa temporada por lá e acho que isso também pesou na minha convocação. Espero fazer um bom trabalho na Seleção Brasileira e agradar não só ao professor Mano Menezes como ao torcedor brasileiro. A sensação de ser convocado é a melhor possível - afirmou.

Hernanes brinca com convocação: 'Vou deixar essa pro Sandro'

Jogador do Inter também é chamado para amistoso contra os Estados Unidos, mas quem passar à final da Libertadores será dispensado

Hernanes é chamado para a Seleção (Foto: vipcom)

A convocação de Hernanes para a Seleção Brasileira, comandada agora por Mano Menezes, não gerou grandes comemorações no CT da Barra Funda. Mas foi considerada uma conquista pelo volante, que admitiu que precisava de boas notícias. Com o São Paulo sem vencer desde o retorno do Brasileiro após a Copa do Mundo, o camisa 10 ficou animado com uma boa nova logo às vésperas do jogo contra o Internacional, nesta quarta-feira, no Beira-Rio, pelo primeiro duelo das semifinais da Libertadores. Hernanes brincou até com Sandro, do Colorado, que também foi chamado para o amistoso contra os Estados Unidos, no dia 10 de agosto, em Nova Jérsei. Afinal, quem passar para as finais da competição internacional - dias 11 e 18 de agosto - será dispensado da Seleção.


- Estou feliz por de novo fazer parte da convocação para a Seleção Brasileira e acho que pelo momento do São Paulo não era só uma conquista minha, mas do grupo todo. Precisávamos de uma notícia boa, positiva. Mas se puder vou deixar essa pro Sandro (risos), tomara que eu não esteja disputando o jogo, pois terei outras chances no futuro - ressaltou o volante, torcendo para que o Tricolor chegue à final da Libertadores.

Antes do Mundial na África do Sul, Hernanes tinha esperanças de ser convocado por Dunga, o que acabou não acontecendo. Agora, com Mano no comando, o volante deseja ajudar o novo treinador a montar a equipe para a Copa de 2014, que será realizada no Brasil. E mostrou gostar do estilo do atual treinador da Seleção.

- Claro que gostaria de estar na África, mas toda convocação vem na hora certa. É um novo projeto, um novo treinador, e quero fazer parte disso. O Mano, pelo que eu percebi de longe, é um cara vencedor, inteligente, muito capaz, é um comandante mesmo, é aquele chefão que tem que obedecer e está sempre buscando aprender mais - elogiou o camisa 10.

A última vez que Hernanes foi convocado para a Seleção Brasileira foi para a disputa dos jogos contra Chile e Bolívia, pelas Eliminatórias para a Copa de 2010, em 2008, ainda com o técnico Dunga no comando.

Fazendo compras, Jucilei é pego de surpresa com convocação

Volante do Corinthians custou a acreditar que estava na lista de jogadores que disputarão amistoso pela seleção brasileira contra os Estados Unidos

Mano não havia avisado o jogador que ele seria convocado para a seleção brasileira (Foto: AE)



O volante Jucilei, do Corinthians, foi um dos 24 convocados pelo novo técnico da seleção brasileira, Mano Menezes, nesta segunda-feira, para o amistoso contra os Estados Unidos, dia 10 de agosto, em Nova Jérsei. Apesar de Mano ter comandado o Timão na vitória por 3 a 1 sobre o Guarani, na sua despedida do clube, neste último domingo, ele não avisou o jogador, que foi pego de surpresa.


- Eu estava comprando roupa aqui, quando um amigo meu me ligou. Eu disse que era mentira, que não podia ser. Mas depois todo mundo começou a me ligar e vi que era verdade – disse o jogador, em entrevista por telefone ao GLOBOESPORTE.COM.

Apesar da surpresa, Jucilei vê méritos próprios para conseguir realizar um dos sonhos de qualquer atleta profissional.

- Esperava mais até pela convocação do Elias (companheiro de Jucilei no Corinthians), que joga muito, mas acho que mereço também. Ganhei a confiança do Mano nesse último ano que trabalhamos juntos. Sempre que entrava, eu correspondia, e por isso acho que fui lembrado – afirmou.

A alegria é mais do que compreensível. O salto na carreira do corintiano não foi dos menores. Em menos de um ano, o jogador de 22 anos conseguiu se firmar em uma equipe grande do país e de quebra ser convocado para a seleção.

- Em 2009, estava no Corinthians Paranaense e na metade de 2010 estou na seleção. Estou muito feliz por tudo isso. Eu achava que essa hora iria chegar, mas não sabia que seria tão cedo – concluiu.

Mano confirma que será técnico da seleção olímpica e já pensa em 2012

Técnico diz que sua primeira lista privilegia a renovação


Após divulgar sua primeira lista de convocados para seleção brasileira, o técnico Mano Menezes confirmou que comandará a equipe canarinho nas Olimpíadas de 2012. Segundo ele, a relação divulgada nesta segunda-feira foi feita pensando justamente nos Jogos de Londres.


- Pensamos em fazer nesse início um trabalho de renovação. Dentro desse pensamento, nós não temos só objetivo da Copa de 2014, mas também nas Olimpíadas. Nessa convocação colocamos sete jogadores com idades que permitem a eles estarem em Londres (confira lista mais abaixo). Vamos visar um trabalho paralelo para esses jogadores, de ambientação e buscando prepará-los para o momento que vamos dirigir nossas atenções para os Jogos.

No entanto, de acordo com Mano, os jogadores “veteranos” serão mais utilizados nos primeiros amistosos.


- Nós temos uma outra ideia para os demais jogadores (acima da idade olímpica), talvez eles sejam mais utilizados nas primeiras partidas. Mas mesmo que os outros (mais novos) não joguem, eles vão poder vivenciar esse ambiente (de seleção) e participar da preparação. O técnico precisa ver a personalidade e comportamento (dos atletas) - afirmou o ex-técnico corintiano, revelando que entrou em contato com todos os jogadores que atuam no exterior para saber das condições de casa um.

David Luiz: 'Estou muito feliz em ser lembrado pela primeira vez'

Jogador, de 23 anos, é sondado por grandes times da Europa

David Luiz pelo Benfica (Foto: AFP)

Novidade da lista do técnico Mano Menezes para o amistoso da seleção brasileira com os Estados Unidos, dia 10 de agosto, em Nova Jersey, o zagueiro David Luiz, do Benfica, expressou em poucas palavras, ao GLOBOESPORTE.COM, sua felicidade ao saber da primeira convocação em sua carreira.


- Soube agora da convocação. Estou muito feliz em ser lembrado pela primeira vez. É um começo de um novo trabalho. Só agradeço a Deus por isso - disse rapidamente o zagueiro, já que o clube português proíbe que os atletas concedam entrevistas.

O zagueiro de 23 anos, que jogou pelo Vitória até 2007, estaria na mira de vários times da Europa, de acordo com a imprensa do Velho Continente. Real Madrid, Manchester City e Chelsea teriam interesse em contratar o brasileiro que, por sua vez, disse estar concentrado apenas no trabalho no Benfica.

Os portugueses só aceitam liberar David Luiz mediante o pagamento da rescisão de contrato. Portanto, o clube interessado terá que desembolsar € 50 milhões (R$ 112 milhões) pelo

Com Neymar e Ganso, Mano convoca a seleção pela primeira vez

Treinador anuncia lista com 10 estreantes e só quatro que disputaram a última Copa do Mundo: Daniel Alves, Thiago Silva, Robinho e Ramires

Mano Menezes exibe o agasalho da seleção que ganhou de Ricardo Teixeira (Foto: Ag. Estado)

Com uma seleção renovada, que conta apenas com quatro jogadores que disputaram a última Copa do Mundo, Mano Menezes iniciou nesta segunda-feira, em um hotel na Zona Sul do Rio de Janeiro, o trabalho com a Seleção Brasileira. O ex-treinador do Corinthians anunciou a primeira lista com os 24 convocados para o amistoso contra os Estados Unidos, dia 10 de agosto, em Nova Jérsei. Nela estão Neymar, Paulo Henrique Ganso e André, do Santos. E algumas surpresas como Ederson, do Lyon, o goleiro Renan, do Avaí, e o lateral Rafael, do Manchester United. O Santos liderou com quatro convocados, incluindo Robinho.


Usando um terno cinza e sentado ao lado do presidente da CBF, Ricardo Teixeira, Mano Menezes chamou 12 jogadores que atuam no futebol brasileiro e outros 12 que estão no exterior. Dos convocados, 10 foram chamados pela primeira vez para a Seleção principal: os goleiros Renan e Jefferson, o lateral Rafael, os zagueiros Réver e David Luiz, os meias Ederson, Paulo Henrique Ganso e Jucilei, e os atacantes Neymar e André.

Mano listou 24 atletas porque vai cortar Hernanes ou Sandro, dependendo do resultado do duelo entre São Paulo e Internacional, pela semifinal da Libertadores. A apresentação da seleção para o amistoso será no dia 8 de agosto.

- A equipe que passar para a final terá seu jogador liberado, pois não seria justo porque jogaremos apenas um amistoso - disse Mano.

Do grupo que disputou a última Copa do Mundo, Mano Menezes chamou quatro jogadores: Daniel Alves, do Barcelona, Ramires, do Benfica, Robinho, do Santos, e Thiago Silva, do Milan.

O ex-técnico do Corinthians teve pouco tempo para montar a primeira lista já que foi convidado por Ricardo Teixeira na noite de sexta-feira. Antes, a entidade havia sondado Luiz Felipe Scolari e feito uma proposta oficial a Muricy Ramalho, que preferiu permanecer no Fluminense.

O treinador, acompanhado da mulher, Maria Inês, e da filha, Camilla, chegou ao Rio de Janeiro no início da madrugada. E se reuniu com Ricardo Teixeira na sede da CBF antes de anunciar a lista de convocados.

- Procuramos informações com colegas, profissionais, sobre os jogadores de clubes do Brasil. Hoje pela manhã finalizamos, horas antes de apresentar a convocação para vocês - disse Mano.

A LISTA DE MANO MENEZES


Goleiros

Renan Avaí

Jefferson Botafogo

Victor Grêmio

Laterais

Rafael M. United

Marcelo Real Madrid

André Santos Fenerbahçe

Daniel Alves Barcelona

Zagueiros

David Luiz Benfica

Henrique Racing S.

Réver Atlético-MG

Thiago Silva Milan

Meias

Ederson Lyon

Carlos Eduardo Hoffenheim

Hernanes São Paulo

Sandro Internacional

Paulo Henrique Ganso Santos

Lucas Liverpool

Jucilei Corinthians

Ramires Benfica

Atacantes

Robinho Santos

Neymar Santos

Alexandre Pato Milan

André Santos

Diego Tardelli Atlético-MG